6 de abril de 2010

Para que servem 320 milhões de euros?

Servem, por exemplo, para deitar ao lixo sob a forma de medicamentos não usados, num ano, em Portugal! Pelo menos foi o que julgo ter ouvido nas notícias hoje na RTP!

Para se fazer alguma coisa, é preciso vontade e acção, não basta mandar para o Diário da República uma Portaria 697/2009 sobre o fornecimento em unidose, e esperar que as farmácias e as farmacêuticas adiram... (sim, elas aderem já, de boa vontade...)
320.000.000 € para o lixo, num ano, só de medicamentos? Será que ouvi mal o número? Por favor, digam-me que foi engano!

12 comentários:

manuel marques disse...

é muita massa...

Abraço.

Paulo Lobato disse...

Benjamina, começo a pensar que isto não tem mesmo «remédio»; está tudo feito para benefício de alguns em prejuízo de muitos.
um abraço

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

aqui no Brasil além de eles nem compram medicamentos, fogem primeiro com a grana, mas no lixo brasuca é fácil encontrarmos livro didáticos novinhos

Fernanda disse...

Olá amiga !

É infelizmente verdade...
Fica-se doente só ao tomar conhecimento de tamanho absurdo.
Tudo isto porque é preciso encher os bolsos dessa corja maldita.

Beijinhos,
Querida amiga Ana,

Que poema mais lindo.
Espero também sentir o mesmo quando for velhinha.

Beijinhos

Fada do Bosque disse...

Eu gostaria de te dizer que não é assim, mas em Portugal vai muito dinheiro pelo cano de esgoto... não é á toa, que estamos quase como a Grécia! Malditos Lobbies e governantea!

direitinho disse...

Não consigo entender como é possível deitar tantos medicamentos no lixo.
Eles são tão caros e levam uma fatia do ordenado que me parece que o erro está nas pessoas que os compram sem necessidade.
A unidose para doentes dependentes não é de modo algum a solução.
gostei do teu cantinho e vou seguir-te.

Benjamina disse...

Manuel,
é muita ma$$a mesmo!

Benjamina disse...

Paulo,
eu também penso isso, mas também penso que muitos têm o dever de acabar com o privilégio de alguns. Devagar, a gente chega lá!

Benjamina disse...

Ediney
Este mundo agoa-se em lixo - o que não serve para nada e o que ainda serviria a muitos. Há muita falta de consciência - do povo e dos governantes! Aqui, no Brasil e na maior parte do globo, infelizmente.
Obrigada pela visita do outro lado do Atlântico :)

Benjamina disse...

Fernanda
É verdade. As farmacêuticas ganham dinheiro a rodos, acho que mais com os medicamentos que vão parar ao lixo do que com os utilizados!
A Ministra, em vez de pôr mãos à obra e tratar de arranjar sistema de colocar em prática a unidose, deu um passo atrás e vacilou ("não vais ser unidose, vão ser embalagens mais pequenas"). Mas hoje já deu o dito por não dito e disse, afinal, que a unidose é para avançar! Não sei é quando!
Beijinhos

Benjamina disse...

Fada
Tu sabes muito do que se desperdiça em Portugal, mas tenho a certeza que nem tu nem eu sonhamos com os valores reais! Ou não fôssemos o país mais improdutivo e ineficiente da europa!

Benjamina disse...

Direitinho
O erro não está nas pessoas: elas são obrigadas a comprar embalagens de 60 comprimidos quando precisam de 3 ou 4. E não podem ser tomados fora de prazo! Logo, vão para o lixo (espero que os devolvam às farmácias, quendo digo deitar ao lixo, pois é lá que devem ser descartados)
O mal está na indústria que fabrica embalagens tão grandes, para que nós e o Estado lhes paguemos, mesmo sem ser preciso. E o mal está no Governo, que assume em lei que se venda em unidose, para poupar, mas depois não toma medidas para que isso seja praticável.
O erro das pessoas será apenas não fazer mais barulho!
Obigada pela visita