30 de novembro de 2009

Não sei o que é o tempo

Fazem hoje 74 anos que Fernando Pessoa morreu. Tão jovem era de tempo quanto eu o sou. Mas tão mais velho de saber, de querer saber, de pensar e de não agir, de sentir e não sentir. Mas mesmo tanto sabendo, não sabia o que era o tempo que sentia.


"Não sei o que é o tempo. Não sei qual a verdadeira medida que ele tem, se tem alguma. A do relógio sei que é falsa: divide o tempo espacialmente, por fora. A das emoções sei também que é falsa: divide, não o tempo, mas a sensação dele. A dos sonhos é errada; neles roçamos o tempo, uma vez prolongadamente, outra vez depressa, e o que vivemos é apressado ou lento conforme qualquer coisa do decorrer cuja natureza ignoro.
Julgo, às vezes, que tudo é falso, e que o tempo não é mais do que uma moldura para enquadrar o que lhe é estranho. Na recordação, que tenho da minha vida passada, os tempos estão dispostos em níveis e planos absurdos, sendo eu mais jovem em certo episódio dos quinze anos solenes que em outro da infância sentada entre brinquedos.
Emaranha-se-me a consciência se penso nestas coisas. Pressinto um erro em tudo isto; não sei, porém, de que lado está. É como se assistisse a uma sorte de prestidigitação, onde, por ser tal, me soubesse enganado, porém não concebesse qual a técnica, ou a mecânica, do engano.
Chegam-me, então, pensamentos absurdos, que não consigo todavia repelir como absurdos de todo. Penso se um homem que medita devagar dentro de um carro que segue depressa está indo depressa ou devagar. Penso se serão iguais as velocidades idênticas com que caem no mar o suicida e o que se desequilibrou na esplanada. Penso se são realmente sincrónicos os movimentos, que ocupam o mesmo tempo, em os quais fumo um cigarro, escrevo este trecho e penso obscuramente.
De duas rodas no mesmo eixo podemos pensar que há sempre uma que estará mais adiante, ainda que seja fracções de milímetro. Um microscópio exageraria este deslocamento até o tornar quase inacreditável, impossível se não fosse real. E por que não há o microscópio de ter razão contra a má vista? São considerações inúteis? Bem o sei. São ilusões da consideração? Concedo. Que coisa, porém, é esta que nos mede sem medida e nos mata sem ser? E é nestes momentos, em que nem sei se o tempo existe, que o sinto como uma pessoa, e tenho vontade de dormir."

Bernardo Soares / Fernando Pessoa, em "Livro do Desassossego"

28 de novembro de 2009

25 de novembro de 2009

Em todas as ruas te encontro

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto, tão perto, tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco


Mário Cesariny (Poema e pintura)

22 de novembro de 2009

The Saints Are Coming



Os U2 e os Green Day. Nova Orleães e o Katrina em 29 de Agosto de 2005. Os Estados Unidos são o país que mais emitiu gases de efeito de estufa para a atmosfera até hoje. Será que provar o provável fruto das alterações climáticas para que tanto têm contribuído os fez acordar? Foi um drama enorme. Um drama muito mediático, a que felizmente muitas celebridades , e não só, ocorreram a ajudar. E todos aqueles dramas tão ou muito mais graves que continuam incessantemente a ocorrer por esse mundo fora, dos quais se fala 1 dia ou 2? Quem lhes acode?
(Se quiser ver o vídeo em HQ, pode ver aqui)

15 de novembro de 2009

Obama e o peso do mundo

"(...)
A máquina complexa da administração americana parece emperrada e os progressos conseguidos são poucos e lentos. Em matéria de ambiente, a quatro semanas da Cimeira de Copenhaga, as hesitações do lado americano estão a criar um grande cepticismo entre os ambientalistas. Começa a pensar-se que as negociações sobre o novo tratado deverão prolongar-se para lá daquela Conferência, durante o ano de 2010... É uma desilusão. Será um novo atraso (incompreensível), dada a reconhecida urgência de travar, quanto antes, o aquecimento global, pela diminuição dos gases com efeito de estufa. Mas, enfim, as coisas são o que são e não como os homens - e as mulheres - de boa vontade gostariam que fossem....
(...) "

Mário Soares
,
em "Obama e o peso do mundo", na Visão de 12/11/2009

Texto integral na Visão online

14 de novembro de 2009

Contra a fome

Há mais de mil milhões de pessoas com fome crónica. Em cada minuto, morrem 10 crianças com fome. Se acha isto inaceitável, junte a sua voz e assine a petição lançada pela FAO. A tempo da Cimeira de Roma sobre Segurança Alimentar, já nos próximos dias 16 a 18.




E não se esqueça de divulgar. Como diria Fernando Pessoa, "É a Hora!"

8 de novembro de 2009

Pai, tenho saudades

Pai, hoje é o dia do teu aniversário. Não te posso dar os parabéns, porque já não estás connosco. Há muito tempo que partiste e que me habituei a viver sem ti. Hoje tenho a idade que tinhas quando partiste, e o dobro da que eu tinha nesse triste data, mas nunca me deixaste verdadeiramente só.
Eras um homem bom, sonhador. Apaixonado pela vida, apaixonado pela nossa mãe, apaixonado pelos teus 6 filhos, pelas ideias que punhas em prática, embora nem sempre com sucesso. Eras amigo do amigo como nunca vi.
Pai, desculpa eu raramente visitar a tua sepultura, é que eu não gosto, pois eu sei que tu não estás lá. Visito-te sempre dentro de mim. Não tens estado por cá, mas mesmo assim, continuas a ajudar-me nos momentos mais difíceis.
Como gostaria de saber escrever um belo texto com belas palavras para te dedicar, mas não fui eu que herdei esse genes do lado da mãe. Tu também não eras um homem de palavras. Mas nunca, nunca mais esqueci aquelas que me escreveste nas fitas da universidade:
"O que mais te desejo é a felicidade e a paz de consciência"
Pai, tenho tantas saudades tuas...

6 de novembro de 2009

O mais simplesmente possível

"(...) O amor não são prazeres breves e localizados, como sustentava Colette, autora muito da minha estima, é uma vocação de sarça ardente. E estremeço de alegria quando noto nas minhas filhas as mães delas. Pareço uma caninha ao vento. Firme que nem caniço em noite de tempestade. São tão raras as mulheres que habitam a cama como um quadro habita a moldura, em que almofadas, lençóis, colchão, possuem o exacto tamanho delas e nós uma vontade humilde de ajoelhar, diante de tanta miraculosa perfeição. Sejam que horas forem é sempre

- Bom dia

antes da linguagem dos arcanjos. "


António Lobo Antunes, em "Devemos fazer tudo o mais simplesmente possível mas não mais simplesmente do que isso", na Visão de 5/11/2009

Texto integral na Visão, de ontem, online

3 de novembro de 2009

Nevoeiro

"Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
define com perfil e ser
este fulgor baço da terra
que é Portugal a entristecer –
brilho sem luz e sem arder,
como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quere.
Ninguém conhece que alma tem,
nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ância distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...


É a Hora!"

Fernando Pessoa, em "Mensagem"
(Foto da net, retirada de Talefe)

2 de novembro de 2009

I Gotta Feeling - come to UQAM!



Mais uma vez o "I Gotta Feeling" dos Black Eyed Peas a dar origem a um alegre vídeo. Desta vez, na semana de integração, 172 estudantes de Comunicação da Universidade do Quebeque em Montreal, gravaram este vídeo "publicitário" à sua Universidade - LIPDUB - no passado dia 10 de Setembro, em 2h15min.