8 de novembro de 2009

Pai, tenho saudades

Pai, hoje é o dia do teu aniversário. Não te posso dar os parabéns, porque já não estás connosco. Há muito tempo que partiste e que me habituei a viver sem ti. Hoje tenho a idade que tinhas quando partiste, e o dobro da que eu tinha nesse triste data, mas nunca me deixaste verdadeiramente só.
Eras um homem bom, sonhador. Apaixonado pela vida, apaixonado pela nossa mãe, apaixonado pelos teus 6 filhos, pelas ideias que punhas em prática, embora nem sempre com sucesso. Eras amigo do amigo como nunca vi.
Pai, desculpa eu raramente visitar a tua sepultura, é que eu não gosto, pois eu sei que tu não estás lá. Visito-te sempre dentro de mim. Não tens estado por cá, mas mesmo assim, continuas a ajudar-me nos momentos mais difíceis.
Como gostaria de saber escrever um belo texto com belas palavras para te dedicar, mas não fui eu que herdei esse genes do lado da mãe. Tu também não eras um homem de palavras. Mas nunca, nunca mais esqueci aquelas que me escreveste nas fitas da universidade:
"O que mais te desejo é a felicidade e a paz de consciência"
Pai, tenho tantas saudades tuas...

38 comentários:

Fernanda disse...

Amiga Benjamina,

Estou atrasada em relação à data do post, lamento.

Um abraço forte pela sua perda. Eu sei o que sente, embora o meu pai tenha partido mais tarde...mas a sensação é sempre igual.
Um vazio sem fim e um constante lembrar de pequenas coisas que surgem inesperadamente.

Beijinho

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Benjamina,
peço-lhe desculpa por entrar neste post que considero muito pessoal e como tal um desbafo.
Mas é só para lhe dizer que a entendo perfeitamente. Eu passei pelo mesmo há cerca de 50 anos e ainda continuo a ter a mesma sensação que a minha amiga.
Melhor que escrever é sentir e creia, verdadeira e felizmente, que é um sentimento que a vai acompanhar até ao fim dos seus dias.
Pela árvore vêm-se os frutos.
Bom foi o pai que transmitiu tais sentimentos ao filhos; bons são os filhos que os seguem.
Saudações muito cordiais.

Manuela disse...

Já há muito tempo que visito por aqui os blogues da minha preferência. Nunca me atrevi a comentar nenhum...
Hoje não posso passar sem o fazer e aqui estou para me juntar a ti ( mãe e irmãos )na saudade pela pessoa inesquecível que era o teu PAI.
Um forte abraço da tia

Fada do bosque disse...

Benjamina eu também tenho saudades demais... não dá para descrever... só quem passa por isso, é que sabe a cicatriz que fica no coração...
Taditos dos manos mais novos, quase bébés...
Só queria chamar a atenção para a data. Fazia hoje anos, sim dia 8 e não dia 6 de Nov.
Beijinho mana.
O PAI vive nos nossos corações e corre nas nossa veias.
Os puros do coração, são como o nosso PAI.

TERESA SANTOS disse...

Benjamina,

Eles ficam sempre connosco, estão sempre presentes.
É a saudade, são os valores transmitidos, é o amor que não morre que faz deles imortais.
Beijinho.

Benjamina disse...

Olá amiga Fernanda
Como atrasada, se escrevi o "post" hoje de manhã? E se estivesse? Bem sabemos que o tempo não chega para tudo. Tenho é de lhe agradecer passar por aqui e deixar o seu testemunho.
E é verdade, o vazio que um ente querido deixa nunca é preenchido, há um constante lembrar a partir de pequenas coisas. Ainda bem.
Obrigada.
Um beijo.

Benjamina disse...

Caro Miguel
Por favor, não peça desculpa. É claro que é um sentimento pessoal, mas partilhado por muitos, como sabe. Por isso "desabafei" aqui.
O meu pai também já partiu há mais de duas décadas, e sei que nunca o esquecerei, lembro-o tantas vezes ainda... felizmente, como diz!
Além de ser pai, era mesmo um homem bom.
Agradeço muito as suas palavras, obrigada mesmo.
Um abraço.

Fada do bosque disse...

Benjamina desculpa atribuí á data que está abaixo...Talvez tenha contecido o mesmo á Fernanada... erros...
Realmente, nunca te enganas...
Beijinho.

Benjamina disse...

Querida Tia Nela
Nem sei que lhe dizer, a não ser obrigada. Só mesmo a saudade de uma pessoa boa como era o pai, a faria deixar um comentário, pois bem sei que por aqui passeia, já mo disse, mas não gosta muito de comentar, reservada como é.
Sabe, quando deixei aqui no Armazém o Unforgettable, também foi a pensar nele...
Muitos beijinhos e muito obrigada.

Benjamina disse...

Querida Fada
Engano-me muitas vezes, infelizmente, mas não nesta data, como poderia enganar?
Falas certo, o Pai vive em nós, e em todos os amigos que o não esquecem.
Fica sempre a cicatriz, mas como diz o T. Mike, ainda bem, é sinal que algo de bom ficou.
Hoje, não consegui resistir a partilhar. Os blogues têm destas coisas... Ainda bem!
Beijos

Fada do bosque disse...

Pois a partilha é um dom!
Fazes muito bem.

Beijinho grande. :)

Benjamina disse...

Olá Teresa
É verdade, é o amor que não morre. Gostei muito dessa frase.
Acho que muito se confunde "amor" com "paixão", porque paixões, nascem e morrem, mas o amor, o amor verdadeiro, esse que une pais e filhos, amigos verdadeiros, alguns casais, esse, não morre.
Um beijinho e obrigada.

Fada do bosque disse...

Esqueci de dizer, que adoro essa foto do pai com as três meninas... era ainda um miúdo... :)

Benjamina disse...

Fada, pois essa foto é também a minha preferida. Beijos

Paulo Assim disse...

Belíssima fotografia!
Gosto imenso dela, especialmente pela descontracção de todos e também pelos pés descalços.
Está impregnada de um tempo que é nostálgico.
Obrigado pela partilha!

Benjamina disse...

Paulo Assim
Eu é que agradeço, também adoro essa foto, sempre a achei especial.
Um abraço.

Maria Josefa Paias disse...

Benjamina,
Permita que partilhe também este dia consigo. Os meus pais tinham ambos a mesma idade, e partiram com cinco anos de diferença, a Mãe com 85 e o Pai com 90 anos, e não há um único dia que não sinta saudades deles e a sua falta.
Um beijinho.
Josefa

Nuno disse...

Embora ainda fosse muito pequeno, tenho recordações muito vivas do pai que me vão acompanhar até ao fim dos meus dias. E estas memórias, por não serem muitas, são as mais preciosas da minha vida... fez-me falta crescer sem ele mas no fundo o pai esteve sempre cá. Acima de tudo gostaria que olhasse para mim hoje e se sentisse orgulhoso. Estou certo que assim é esteja ele onde estiver.
Beijos para as manas e muitas saudades para o pai. Vai ficar para sempre no meu coração. E obrigado pelo post.

Ferreira-Pinto disse...

Minha cara, o homem pode ter partido mas não o seu espírito nem a sua "obra" porquanto as duas filhas que lhe conheço são um hino à sua memória!

Benjamina disse...

Josefa
A saudade não nos abandona nunca mais, mesmo. Felizmente a nossa querida Mãe continua jovem. Obrigada por partilhar.
Um beijinho

Benjamina disse...

Querido Nuno
Como disse a Fada, éreis uma criança, tu e o mais novo, e mais do que a saudade, creio que sentis a falta que vos fez crescer sem ele. E eu tenho a certeza que ele estará orgulhosíssimo de ti. Ainda por cima parecido com ele, como és...
Muitos beijos

Benjamina disse...

Ferreira-Pinto
Simplesmente: obrigada!

Fada do bosque disse...

QUINN
Muito ssensibilizada fiquei, pela parte que me toca. :)
Obrigada.

NUNO

Claro que o pai se orgulha muito de ti... se ele te visse agora, pensaria que estava em frente a um espelho. :)

Alda M. Maia disse...

Só quero deixar aqui um beijinho muito especial
Alda

Benjamina disse...

Olá D. Alda
Muito obrigada pela visita.
Um beijinho e um abraço.

Ana Paula Sena disse...

Um beijinho muito especial, Benjamina.
Tem toda a minha compreensão. E agradeço-lhe a partilha cheia de ternura e saudade pelo seu pai.

O meu partiu há quase 5 anos. Sei como é também. Está sempre comigo, para sempre o meu querido pai. Mas as saudades costumam apertar, vou vivendo com elas, pois...

Adorei o seu gesto cheio de sensibilidade. Somos nós que os mantemos vivos, também assim.

Linda, a foto!

Adoa disse...

Eu sei as palavras que procuras...
José Luis Peixoto escreveu-as muito bem no livro "Morreste-me".

Lamento muito a perda.
Beijos

Bia Maia disse...

Querida nova amiga!

Que delícia e felicidade ter "caído" aqui em seu blog!

Que homenagem mais maravilhosa a que fez ao teu pai!

Tenho meu pai vivo e sinto por ele o que acredito que sentia pelo seu lindo pai!

Parabéns!!!

Derramei lágrimas ao ler tudo isto!

Que maravilha!

Deixo-lhe um beijo em seu coração iluminado e um convite a conhecer meu blog, onde escrevo lá as minhas verdades, com muito amor, paixão, alegria, tristeza, compaixão, enfim...o que me der na telha!...

Seja bem vinda!

Bia Maia

http://olhardentrodosolhos.blogspot.com

Benjamina disse...

Ana Paula
Seu Pai partiu há quase 5 anos, e o meu já partiu há muitos mais, mas nunca os esqueceremos. Um grande obrigada pela visita e também pela partilha.

Benjamina disse...

Adoa
Bem vinda e o brigada pela visita. Procurarei encontrar esse livro.
Beijos

Benjamina disse...

Bia Maia
Muito obrigada por ter aqui deixado o seu testemunho, e seja bem vinda a este armazém de pedacinhos que gosto ou que sinto.
Vou de seguida visitar o seu blogue.
Um abraço

Manuela Freitas disse...

Olá Benjamina,
Também já não tenho pais e se os dois estão permanentemente em mim, o meu pai foi para mim a pessoa mais excepcional que tive na minha vida, só queria ver-me feliz e abriu-me as portas para a cultura, nunca esquecerei os nossos passeios dominicais, com ele vi todos os museus e andei por todos os sítios com história na cidade. Foi uma pessoa excepcional e por todos considerado uma pessoa boa.
Sensibizou-me bastante o seu texto.
Bjs,
Manuela

Benjamina disse...

Olá Manuela
Uma coisa boa é termos coisas boas para recordar. É isso que mantém vivos os entes queridos que partiram.
Obrigada por ter estado aqui.
Hoje um amigo também viu o seu pai partir. Está na hora de o ajudar.
Um beijinho

caraujo disse...

Benjamina,
Como posso descrever o que sinto? como posso exprimir algo que nem para mim consigo explicar: este sentimento que mistura saudade/tristeza.
Todos estes anos... sem ele...ele era LINDO. O meu PAI era LINDO. que falta me faz.
Estes relatos deixaram-me de rastos...
Um grande beijo

Benjamina disse...

Fada
Nem sei que dizer do teu testemunho sobre o pai e a atitude dele perante o que se passava no mundo. Tu foste a filha que com ele esteve na última semana, e melhor o saberás, mas julgo que ele pressentia que a sua viagem estava a chegar ao fim. Por isso essa melancolia em relação ao futuro dos filhos.
Beijos

Benjamina disse...

Carlos
Realmente não há palavras que expressem... só alguns dotados para a escrita se conseguem aproximar!
O pai era lindo mesmo, por fora e sobretudo por dentro.
Hoje fui ao funeral do pai de um amigo. Esse amigo, na despedida disse algumas palavras, embargadas e lindas, sobre as memórias e o orgulho que tinha do pai. Comoveu-me. Pensei no nosso pai, como não? Apesar da dor que esse amigo está a sentir, ele sabe a sorte que teve em o seu pai ter tido uma vida plena e realizada, que não foi ceifada "a meio" como a do nosso pai. O pai dele tinha precisamente o dobro da idade do nosso quando partiu.
Beijos e obrigada por aqui passares.

ecila disse...

A julgar pela frase linda que ele escreveu na fita deve ter sido uma pessoa especial. Poucos pais se lembram de desejar aos filhos paz de consciência, algo que é, no fundo, das coisas mais importantes de sentir enquanto seres humanos de valor. Um abraco!

Benjamina disse...

Ecila
É verdade, aquilo que disse. Ele era muito especial, e eu também acho que a paz de consciência é primordial para se viver bem consigo próprio e com os outros. Mas traz muitos dissabores pelo caminho, sobretudo numa sociedade como a de Portugal!
Obrigada e um abraço.