19 de dezembro de 2009

É preciso não esquecer nada

"É preciso não esquecer nada:
nem a torneira aberta nem o fogo aceso,
nem o sorriso para os infelizes
nem a oração de cada instante.

É preciso não esquecer de ver a nova borboleta
nem o céu de sempre.

O que é preciso é esquecer o nosso rosto,
o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso.

O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos,
a idéia de recompensa e de glória.

O que é preciso é ser como se já não fôssemos,
vigiados pelos próprios olhos
severos conosco, pois o resto não nos pertence."

Cecília Meireles

10 comentários:

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Benjamina,
que poema tão belo !
E importante nestes dias tão confusos.
Um abraço.

Fernanda disse...

Querida amiga,

Hoje venho só trazer os meus votos de Feliz Natal.

O Natal não é somente
Celebrar solenemente
A data mais conhecida.
Natal é qualquer momento
De amor e sentimento
Que ilumina a nossa vida.

É o dar sem receber
É no coração conter
Dimensão de caridade.
É dar esmola ao mendigo
Ajudar os sem abrigo
Com franca fraternidade.

Natal é p’ro ser humano
Qualquer altura do ano
Em que visita um doente.
Quando aos fracos dá a mão
E aos tristes em solidão
Ou conforta alguém ausente.

Natal é a força maior
A grande lição de amor
Que o Homem deve saber
Sem grandes filosofias
Natal é todos os dias
Quando o queiramos fazer !...

Beijinhos

Maria Josefa Paias disse...

Um belo poema de Cecília Meireles, Benjamina. Obrigada.
Não posso, no entanto, deixar de dizer que gostei muito do que a Fernanda escreveu no seu comentário, e que eu, como pessoa também do voluntariado, da proximidade, da palavra que é necessária todos os dias do ano, muito apreciei.
Beijinhos e bom Domingo.

Benjamina disse...

Miguel
Também achei belo, mas mais pelo seu conteúdo que pelas palavras.
Obrigada e um abraço.

Benjamina disse...

Amiga Fernanda

Que belo poema de Natal aqui deixou, que retrata bem o que esta época deveria ser.
Muito obrigada por tão sentido presente de Natal.
Beijinhos

Benjamina disse...

Olá Josefa
Tanto o poema de Cecília Meireles, num âmbito mais generalista, como o da Fernanda, de âmbito mais concreto, são lindos poemas que mostram o espírito de solidariedade, que não é preciso só no Natal, mas sempre.
Obrigada e beijinhos

Eduardo Miguel Pereira disse...

Belo poema Benjamina, e com uma mensagem que devia estar sempre presente nas nossas mentes no nosso dia-a-dia.

Benjamina disse...

Eduardo
Concordo plenamente. Devíamos olhar mais para fora de nós, sempre.
Obrigada.

Alda M. Maia disse...

Um grande abraço de Boas, Felizes e Alegres Festas.
Alda

Benjamina disse...

D. Alda
Muito obrigada, e que o seu Natal seja muito feliz e cheio de amizade.
Um abraço