12 de janeiro de 2010

Luzes do Carrossel

"- Quer ver uma coisa bonita?
Todos queriam. O sertanejo trepou no carrossel, deu corda na pianola e começou a música de uma valsa antiga. O rosto sombrio de Volta Seca se abria num sorriso. Espiava a pianola, espiava os meninos envoltos em alegria. Escutavam religiosamente aquela música que saía do bojo do carrossel na magia da noite da cidade da Bahia só para os ouvidos aventureiros e pobres dos Capitães da Areia. Todos estavam silenciosos. Um operário que vinha pela rua, vendo a aglomeração de meninos na praça, veio para o lado deles. E ficou também parado, escutando a velha música. Então a luz da lua se estendeu sobre todos, as estrelas brilharam ainda mais no céu, o mar ficou de todo manso (talvez que Yemanjá tivesse vindo também ouvir a música) e a cidade era como que um grande carrossel onde giravam em invisíveis cavalos os Capitães da Areia. Neste momento de música eles sentiram-se donos da cidade. E amaram-se uns aos outros, se sentiram irmãos porque eram todos eles sem carinho e sem conforto e agora tinham o carinho e conforto da música. Volta Seca não pensava com certeza em Lampião neste momento. Pedro Bala não pensava em ser um dia o chefe de todos os malandros da cidade. O Sem-Pernas em se jogar no mar, onde os sonhos são todos belos. Porque a música saía do bojo do velho carrossel só para eles e para o operário que parara. E era uma valsa velha e triste, já esquecida por todos os homens da cidade."

Jorge Amado, em Capitães da Areia, 1937

Este é talvez o trecho que mais gostei de "Capitães de Areia", um livro que penetra fundo na alma das crianças abandonadas a si próprias e desprezadas pela sociedade que as rodeia. O filme, realizado pela neta do escritor, Cecília Amado, tem estreia prevista para este ano.

18 comentários:

Maria Josefa Paias disse...

Benjamina, esta minha cabecinha deve andar baralhada, porque pensava que o filme "Capitães da Areia" já tinha sido exibido!
Obrigada pela informação e beijinho.

Spark disse...

Li o livro quando ainda era puto e gostei imenso. Espero que o filme tenha a mesma qualidade do livro.

Beijinhos

Ferreira-Pinto disse...

Caramba, deste-me uma injecção de saudade! Vou ter de reler o grande Jorge Amado. Por falar nisso, se souberes onde está à venda a "Tocaia Grande", avisa.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Benjamina, acabou de me dar uma boa ideia de mais um livro para o meu "cachopo" ler.
Lembro-me de ler este livro em míudo. Foi um dos muitos livros que li oriundos da biblioteca criada pela comissão de moradores da rua onde morava, aqui em Almada. Outros tempos ! onde se roçou a utopia, pelo menos por aqui.

Fernanda disse...

Querida amiga,

Também li, adorei relembrar esta passagem.
Já li há uns anitos, 4/5 talvez.

Obrigada por relembrar.

Comecei a ler o Caim, com pontuação e tudo. Estou a adorar.

Beijinhos

manuel marques disse...

Sem dúvida um lindo trecho de capitães de areia.Reli o livro á cerca de um ano.
Gostava de ver futuramente o filme.

Beijo.

A Palavra Mágica disse...

Benjamina,

Jorge Amado é um dos maiores escritores brasileiros. Alguns de seus livros viraram novela e filme.

Beijos!
Alcides

Manuela Freitas disse...

Olá Benjamina,
Há anos li vários livros de Jorge Amado e agora ao ler este post que saudades tenho de ler Amado, tenho que reler. Com a leitura de Amado acontecia-me uma coisa interessante, ficava no meu pensamento aquele ritmo tão peculiar da sua escrita.
Excelente escritor, homem admirável!...
Bjs,
Manuela

Benjamina disse...

Josefa
Penso que já foi feito pelo menos um filme do livro, encontrei um de 1989, dirigido por Walter Lima Jr., mas não conheço.
Por isso, não está nada baralhada, este é um novo filme.
Beijinhos

Benjamina disse...

Olá Spark
Por muita qualidade que um filme tenha, é sempre difícil igualar o livro, para mais quando se trata de um escritor deste calibre. Mesmo quando retratam fielmente (dentro do possível, claro), acabam por perder por isso. Bem sei que não lhe dou novidade nenhuma, pois pelo seu blogue, sei que é uma pessoa super-entendida em cinema.
Um abraço

Benjamina disse...

Ferreira-Pinto
Aproveita o embalo então. Não tenho nem li o Tocaia Grande, mas se souber onde se arranja, aviso, claro!

Benjamina disse...

Eduardo
É uma boa ideia, sim, e também o será para o meu "cachopo", que já tem uns poucos em lista de espera, vai mas um!
E uma biblioteca da comissão de moradores é uma excelente ideia... não tem nada de utopia, e se já não existe, foi uma p+ena ter-se perdido.

Benjamina disse...

Fernanda
Eu também li há pouco tempo, mas mais vale tarde que nunca. Há ainda tantos livros que gostaria de ter lido... como o tempo livre é pouco, vai-se devagar!
Um beijinho

Benjamina disse...

Manuel
É um trecho muito bonito, tocante, mesmo! Espero também ver o filme da neta do escritor, não faço ideia da qualidade, espero não ficar desiludida. Dou sempre um desconto aos filmes que se baseiam numa história que li, pois o imaginário de cada um leva-nos muitas vezes por imagens diferentes.
Um abraço

Benjamina disse...

Alcides
Jorge Amado não só é um dos maiores escritores brasileiros, como um dos maiores escritores da língua portuguesa.
Cá em Portugal é também muito conhecido, já por cá passaram muitas novelas e também filmes baseados nos seus livros.
Inclusive a primeira telenovela brasileira que cá passou foi a "Gabriela Cravo e Canela".
Um abraço

Benjamina disse...

Manuela
Não li muitos livros de Jorge Amado, mas os que li, adorei! Acho também que a sua escrita é aliciante.
beijos

Cris disse...

Voy a esperar con ansiedad el estreno del film. Ojalá que la nieta haga honor a la genialidad de su abuelo y pueda mostrar en imágenes la belleza de la prosa de Jorge Amado. Me encantó el post, releer el fragmento de "Capitães da Areia" es sumergirme en esa sensual, rítmica y sorprendentemente bella, Bahia de todos los Santos, encantos e Axé.
La música de Carlinhos Brown, maravilhosa!
Parabéms, besos

Benjamina disse...

Olá Cris
Eu também tenho alguma expectativa com o filme, as imagens e a música são de facto sugestivas.
Obrigada e beijos