15 de agosto de 2009

Fernando Pessoa e a beleza











"O binómio de Newton é tão belo como a Vénus de Milo.
O que há é pouca gente para dar por isso.


óóóó - óóóóóóóóó - óóóóóóóóóóóóóóó


(O vento lá fora)."



Álvaro de Campos, 21-10-1935

4 comentários:

Fada do bosque disse...

Acredito, acredito... mas para uma ignorante como eu, para mim é hebraico! Se fosse o do Leonardo da Vinci, ainda chegava lá. :)

Benjamina disse...

Toda a ciência tem a sua beleza, mas esta beleza só é apreensível quando se ama e entende a ciência.
Assim, a matemática só pode ser bela para quem dela gosta. Acredito que gostes dela como disse o Paulo Assim: a arder :)
E depois, há o ditado que diz "quem o feio ama, bonito lhe parece", pode-se aplicar aqui ;)

Benjamina disse...

E acrescento, se a ciência não tivesse esse dom de beleza, como poderia ter tantos apaixonados? Alguns a ponto de dar a vida ou viver por ela?

Fada do bosque disse...

A beleza emana também da ciência, quando há criação humana; é isso?
Tu fala-me português!... :))